Serra do Rio do Rastro na Páscoa (Cabeça Quente HDMC )

Estávamos decidindo o que fazer na Páscoa quando apareceu o convite: topam passar o feriado em Torres, com direito a uma esticada a Serra do Rio do Rastro (http://riodorastroaovivo.com.br)?

Convite feito, convite aceito. O convite veio do pessoal dos Cabeça Quente (https://www.facebook.com/groups/cabecaquentemchd/). Um grupo super animado onde todos tem em comum a paixão pelas motos, em especial as Harley Davidson.

Os preparativos iniciaram e como já tínhamos passado pela Serra do Rio do Rastro em fevereiro, estávamos animados com o retorno, principalmente em grupo.

Nosso colega Valcir estava encarregado da logística das acomodações para o pernoite. O Valter e a Suzy, como sempre super prestativos, ficaram com a logística geral.

Marcamos o encontro no posto próximo ao Laçador em Porto Alegre. Daqui normalmente partem os passeio de moto dos mais diversos grupos da cidade. Aos sábados e domingos pela manha podemos encontrar todos os tipos de motos, reunindo as turmas para os passeios.

Sairíamos na sexta feira. Chegamos um pouco antes da hora marcada para o tradicional café antes da viagem. O grupo foi chegando aos poucos e no horário da saída faltava o nosso Road Captain: Daniel Silveira (Danny Krzy). Ligação feita e descobrimos que o amigo perdera o horário, depois não achava a chave da moto! Finalmente iniciamos a viagem. O passeio em grupo é sempre prazeroso. O ronco dos motores das HD’s passa a ser uma musica aos nossos ouvidos. O tempo estava contribuindo, com um céu azul e uma temperatura excelente. Nosso roteiro previa a ida a Cambará do Sul, na serra gaúcha para o almoço. Decidimos seguir pela BR116 até Novo Hamburgo e depois via Taquara, São Francisco de Paula e Cambará. Almoçamos no Restaurante Galpão Costaneira (http://www.cambaraonline.com.br/guia_ondecomerv.php?id=82). Uma comida regional em um ambiente bem “campeiro”. Antes de partimos de Cambará, passamos na prefeitura para a foto do nosso projeto Valentes Fazedores de Chuva. Poderíamos ter seguido direto a Torres via RS427 e SC450 mas a estrada não estava em boas condições e já havíamos combinado prosseguir via Rota do Sol. Recomendo para quem ainda não conhece. Uma estada muito interessante para conhecer de moto, com muitas curava, túneis, bem pavimentada. Enfim, tudo que apreciamos para um passeio de moto. Parada em uma banca de frutas, onde abastecemos os pilotos e garupas, pois a sede após aquele almoço estava forte. Chegamos em Torres no final da tarde. O Valcir já havia chegado e os quartos na ADESBAN devidamente distribuidos. Decidimos jantar na beira do rio Mampituba. O escolhido foi a seqüência da casa, um rodízio de frutos do mar muito bom. Hora do sono para encararmos o desafio do próximo dia.

Acordamos cedo e direto para o café da manha. Motos preparadas, tempo prometendo ser bom, não muito frio, partimos via BR101. Passamos por Criciúma, e pausa para abastecimento. Continuamos em direção a Bom Jardim da Serra com o céu nublado e nuvens baixas. Próximo a Lauro Muller começou uma chuva fraca. Paramos protegidos pelo telhado de uma loja para colocarmos as capas de chuva. Decidimos seguir até um restaurante bem próximo para o almoço. Como São Pedro estava do nosso lado, após o almoço saímos já com o sol aparecendo entre as nuvens. Começamos a subida da Serra do Rio Rastro já entusiasmados em reencontrar cada seqüência de curvas. Uma pena que a estrada não esteja em melhores condições. Entrada no primeiro paradouro para as fotos e dividirmos o entusiasmo com os amigos. A viagem com amigos em grupo é muito interessante. A vibração era geral. A serra convida a integração com a natureza e quem vai de moto entendo do que estou falando. Já li em vários lugares e repito aqui: O prazer que sentimos viajando de moto não precisamos explicar para quem também viaja de moto. Para os outros não adianta explicar, pois não entenderão

O céu começou a ficar encoberto novamente. Após mais alguma fotos nos paradouros seguintes chegamos ao ultimo terço da serra com uma forte neblina. Tocada mais cautelosa, velocidade mais baixa e vamos subindo. Ao chegarmos ao final da serra encontramos um nevoeiro bem denso reduzindo ainda mais a visibilidade. Aconteceu o inevitável:erramos a entrada para o paradouro e saímos quase fazendo trilha, com direito a barro e capim. Rota corrigida e chegamos ao estacionamento. Infelizmente a visibilidade neste dia estava péssima, muito diferente da nossa primeira visita. Mas estávamos entusiasmados por termos feito o trajeto com nossos amigos. Uma menção honrosa a nossa amiga Suzi Righes, que estava estreando em longos trajetos de moto e já encarando a famosa Serra do Rio do Rastro. Outra corajosa garupa foi a Leticia: o João instalou um sisbar novo na sua moto que definitivamente não funcionou. Como resultado, a Leticia chegou em Torres com grandes hematomas. Mas foi corajosa e encarou a garupa do João até o final! Depois de uma pausa para chocolate quente, que a Ingrid não deixa de experimentar, petiscos e cafés, hora do retorno.

Tocada muito legal serra abaixo, com abertura do céu logo depois do primeiro terço e logo após um céu azul até o final do dia. Seguimos via Orleans, por uma rota diferente da vinda. Finalmente chegamos a BR 101 já anoitecendo. Tocada forte até a chegada a Torres, com nosso Road Captain puxando nas ultrapassagens e a Josie e o Diego atuando como cerra fila. Como nosso amigo Clovis tinha ficado, foi encarregado do churrasco. Foi um churrasco maravilhoso com gosto de comemoração. Um passeio destes de moto em companhia de grandes amigos é algo a comemorar. E o Dr. Clovis caprichou. O Charles Padarats com sua câmera documentou toda a viagem e junto com as fotos e filmagens da Ingrid tenho expectativa que o documentário da viagem fique legal. Vamos postar aqui o video mais tarde.

No domingo acompanhamos a procura dos ovos de Páscoa da Familia Padaratz e depois nos despedimos. Retornamos solo para Porto Alegre, com direito a almoço com família na Praia de Albatroz.

Para que ainda não conhece, recomendamos fortemente o passeio. Podemos encontrar alternativas para o pernoite em cidades próximas como Lauro Muller, Orleans, e outras na parte de baixo da serra, ou Urubici e São Joaquim na parte de cima. Também existe um resort que descobrimos depois (http://www.riodorastro.com.br) e não tivemos a oportunidade de visitar. Será numa próxima ida a Serra, espero em breve.

Agradecemos a parceria e companheirismo dos nossos amigos e companheiros de estrada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s